sexta-feira, 17 de abril de 2015

Curso optativo “Saberes que se vivenciam: desconstruindo a inferioridade intelectual de africanos e seus descendentes”

DIÁRIO OFICIAL DA CIDADE DE SÃO PAULO – CIDADE - 17/04/2015 – PÁGINA 37
COMUNICADO Nº 596, DE 16 DE ABRIL DE 2015

OSECRETÁRIO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições legais, conforme o que lhe representou o Diretor de Orientação Técnica/ Núcleo de Educação Étnico-racial em parceria com as DOTs-P da Diretorias Regionais de Educação, COMUNICA a realização do curso optativo “Saberes que se vivenciam: desconstruindo a inferioridade intelectual de africanos e seus descendentes”.

I. JUSTIFICATIVA: No século XVIII, o Iluminismo sobrevalorizou a razão, elegendo-a como força motriz do progresso espiritual. Povos africanos, que não separam razão e emoção, foram considerados inferiores e estigmatizados, por conceberem e viverem o mundo como um todo orgânico, do qual são parte, compartilhando vivências com mundos natural e sobrenatural, sentidas e experimentadas em seus corpos. É premente reconhecer como “outros saberes” esses que povos africanos transmitem/adquirem de forma vivencial, presentes em expressões verbais-corporais produtoras/transmissoras de tais saberes, a saber: festas e celebrações; brincadeiras e jogos; contação de histórias; produções litero-musicais; artes do corpo; artes dramáticas; artes visuais, entre outros.

II. OBJETIVOS:
- Contextualizar a construção histórica da inferiorização intelectual de povos africanos e afro-diaspóricos;
- Refletir sobre “os contributos do homem negro”, como a atitude rítmica e as manifestações culturais negras depositárias de saberes africanos e afro-diaspóricos.
- Municiar cursistas para a construção de plano pedagógico que incluam os saberes de povos negros

III - METODOLOGIA: As aulas organizar-se-ão com exposição dialogada dos conteúdos, leitura compartilhada de excertos dos textos da bibliografia básica, utilização de recursos audiovisuais, sobretudo filmes e canções, reflexão e análise de material didático e planejamento de práticas pedagógicas.

IV. PÚBLICO ALVO: Supervisor Escolar, Diretor de Escola, Assistente de Diretor de Escola, Assistente Técnico de Educação I, Coordenador Pedagógico, Auxiliar Técnico de Educação, Professor de Educação Infantil, Professor de Educação Infantil e Ensino Fundamental I, Professor de Ensino Fundamental II e Médio, Gestor de CEU, Coordenador de Ação Educacional, Coordenador de Ação Cultural, Coordenador de Ação de Esportes e Lazer, Coordenador de Projetos e Coordenador de Biblioteca. A distribuição das vagas dar-se-á da seguinte forma: 20 vagas para professores em exercício na Educação Infantil; 20 vagas para professores em exercício no Ensino Fundamental e Médio; 10 vagas para os demais cargos/funções, tendo como público prioritário os profissionais que atuem nas DREs em que ocorrerão os cursos. No caso de não preenchimento do total de vagas seguindo estes critérios, serão disponibilizadas vagas para os demais (todos os cargos e DREs) por ordem de chegada de inscrição.

V - VAGAS: 50 (cinquenta) vagas por turma.

VI - CRONOGRAMA DE REALIZAÇÃO: DRE CAMPO LIMPO:
Dia da semana: Segunda-feira
Horário: 19h00 às 22h00
Datas: 27/04; 04/05; 11/05; 18/05; 25/05; 01/06/15.
Local: CEU Paraisópolis – UAB Rua Doutor José Augusto De Souza E Silva, s/n - Jardim Parque Morumbi - São Paulo - SP.

DRE ITAQUERA:
Dia da semana: Sábado
Horário: 08h30 às 12h30 (1º ao 3º encontro); 09h00 às 11h00 (4º e 5º encontros)
Datas: 09/05; 16/05; 23/05; 30/05; 13/06/15
Local: CEU Aricanduva- Endereço: Rua Olga Fadel Abarca, s/n - Jardim Santa Terezinha (Zona Leste) - São Paulo – SP.

VII - INSCRIÇÕES: Os interessados em inscrever-se no curso deverão preencher o formulário com os seguintes dados: Nome completo; RF; Vínculo; RG; CPF; Padrão; Horário de trabalho; Cargo e função; Unidade de exercício e Unidade de lotação, de acordo com as informações abaixo:
DRE CAMPO LIMPO: a partir de 17/04/15, através do link http://goo.gl/jkZxFt
DRE ITAQUERA: a partir de 22/04/15, através do link http://goo.gl/forms/zhiJgu9cbC

VIII - CARGA HORÁRIA: O curso contará com carga horária de 18 horas presenciais, divididas em 06 (seis) encontros na DRE Campo Limpo e 05 (cinco) encontros na DRE Itaquera e 02 horas para elaboração da proposta de trabalho, totalizando 20 horas.

IX – REGÊNCIA: Profª Mestra Liliane Pereira Braga.

X - CONTEÚDOS:
Aula 1: Apresentação do curso; Definição dos termos: saberes; cultura; natureza; razão; emoção; intelecto.
Aula 2: Abordagem dos valores civilizatórios africanos (oralidade, ludicidade, ancestralidade, circularidade, religiosidade) e os valores da cosmovisão africana. Contextualizar a relação entre racionalismo iluminista e a naturalização da inferioridade dos negros até os dias de hoje pela via de mão dupla racismocapitalismo.
Aula 3: Manifestações culturais negras conhecidas (samba, capoeira, jongo, maracatu), tecendo relação entre tais manifestações e as formas de ser e estar no mundo de povos da África subsaariana e suas continuidades nas Américas e no Brasil.
Aula 4: Racismo & Currículo: relacionar as discussões que problematizam a ausência das contribuições negras e afro-ameríndias na produção de conhecimento reconhecida pelo mundo Ocidental com a discussão de construção de currículo crítico no Brasil; A tradição que se renova: movimentos musicais e comportamentais deflagrados em diferentes momentos do século XX revitalizadores de modos de ser e viver africanos/ diaspóricos.
Aula 5: Manifestações culturais depositárias de saberes africanos que devem ser vivenciados ou pedagogias performáticas no Brasil: quais são, onde estão, que saberes compreendem. Festas e celebrações (religiosas ou profanas, em termos ocidentais); brincadeiras e jogos; contação de histórias; produções lítero-musicais; artes do corpo; artes dramáticas; artes visuais, entre outros. Exemplos: samba, afoxé, capoeira, jongo, cocode- roda, maracatu, batuque, candomblé, umbanda. Havendo tempo, abordar também suas correlações em outros países das Américas (América do Norte, América Central, Caribe, América do Sul).
Aula 6: Visualização e discussão do curta-metragem “Alma no Olho” (1973) ou “Aniceto do Império em dia de alforria” (1981). Elaboração de esboço de plano pedagógico bimestral para inclusão da perspectiva desse curso no seu ciclo/disciplina.

XI - CERTIFICAÇÃO: Farão jus à certificação os participantes que obtiverem frequência mínima 83,33% e que cumprirem as atividades propostas no curso.

XII - ÁREA PROMOTORA: Secretaria Municipal de Educação – Diretoria de Orientação Técnica – Núcleo de Educação Étnicoracial e DOT-P das Diretorias Regionais de Educação.





OBS: os cursos são importantes para a evolução funcional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário